sábado, 12 de junho de 2010

Feliz Dia dos Namorados!

Cartão comemorativo do Dia de São Valentim,
publicado em 1883, nos Estados Unidos.

O dia 12 de junho, Dia dos Namorados no Brasil - e que tanto nos Estados Unidos, como recentemente em Portugal, se comemora em 14 de fevereiro, no chamado Valentine's Day, dia de São Valentim - é o dia onde os casais apaixonados trocam presentes e renovam suas juras de amor. A data, muito festejada pelo comércio, vez que as vendas aumentam assombrosamente, não deve, no entanto, ser vista apenas nesse aspecto comercial. É, pois, este dia, uma data para se falar de amor e de romantismo, aproveitando-se, assim, como um pretexto para lembrar das coisas do coração. E quando se fala de amor, mesmo que apenas do amor romântico, evidentemente, é difícil não lembrar da música Monte Castelo, de Renato Russo, adaptada do Soneto XI, do escritor renascentista português Luis Vaz de Camões e da Carta do Apóstolo Paulo aos Coríntios, capítulo 13. O texto abaixo fala do amor em sua acepção maior, a do amor fundamental, mas afinal, amor é sempre amor!

Monte Castelo
Legião Urbana

Ainda que eu falasse
A língua dos homens
E falasse a língua dos anjos
Sem amor, eu nada seria...

É só o amor, é só o amor
Que conhece o que é verdade
O amor é bom, não quer o mal
Não sente inveja
Ou se envaidece...

O amor é o fogo
Que arde sem se ver
É ferida que dói
E não se sente
É um contentamento
Descontente
É dor que desatina sem doer...

Ainda que eu falasse
A língua dos homens
E falasse a língua dos anjos
Sem amor, eu nada seria...

É um não querer
Mais que bem querer
É solitário andar
Por entre a gente
É um não contentar-se
De contente
É cuidar que se ganha
Em se perder...

É um estar-se preso
Por vontade
É servir a quem vence
O vencedor
É um ter com quem nos mata
A lealdade
Tão contrário a si
É o mesmo amor...

Estou acordado
E todos dormem, todos dormem
Todos dormem
Agora vejo em parte
Mas então veremos face a face
É só o amor, é só o amor
Que conhece o que é verdade...

Ainda que eu falasse
A língua dos homens
E falasse a língua dos anjos
Sem amor, eu nada seria...

Assim, nesse dia consagrado ao amor, nada melhor do que juntar-se aos grandes: ao grande compositor Renato Russo, ao maior poeta renascentista português e uma das mais expressivas vozes da nossa língua, Luís de Camões, e ao grande Apóstolo Paulo, cujas palavras têm encantado os leitores da Bíblia, o livro dos livros, através dos tempos.

E sobre o amor e os anjos, disse Paulo:

I may speak in tongues of men or of angels, but if I have no love, I am a sounding gong or a clanging cymbal. I may have the gift of prophecy and the knowledge of every hidden truth; I may have faith enough to move mountains; but if I have no love, I am nothing.

Eu poderia falar a língua dos homens e dos anjos, mas se eu não tivesse o amor, seria como um bronze que soa, ou como um címbalo que retine. Eu poderia ter o dom da profecia e o conhecimento de toda a verdade escondida; eu poderia ter fé suficiente para mover montanhas, mas se não tivesse o amor eu nada seria.

Fonte: The Revised English Bible with Apocrypha. Oxford University Press and Cambridge University Press, 1989.


2 comentários:

Anônimo disse...

Só o Renato Russo para fazer uma "costura" assim: autores, letra e música fantásticas. Vale a pena clicar no link para o vídeo no Youtube, e ouvir mais uma vez esta belíssima composição que é um verdadeiro hino da minha geração. Parabéns, nem parece blog de colégio! Andersson.

EMEF João da Silva disse...

Obrigada por seu comentário, Anderson! Continue participando.